Melasma

O que é o melasma?

O melasma nada mais é do que algumas manchas escuras na pele que costumam aparecer, normalmente, na área do rosto. Também é conhecido por manchas da gravidez, cloasma gravídico ou somente cloasma.

O que ocorre no caso do melasma, basicamente, é que os melanócitos, que são as células responsáveis pela produção de melanina da pele, começam a trabalhar de forma exagerada produzindo melanina em excesso em algumas áreas da pele. É mais comum aparecer em mulheres entre os 20 e os 50 anos, mas pode afetar os homens em alguns casos.

Pode acontecer após intensa exposição solar, durante o período gestacional e também após o uso prolongado de alguns tipos de medicamentos.

Em qual parte do corpo é comum aparecer o melasma?

As manchas, normalmente amarronzadas, podem ser chamadas de centofacional, quando ocorrem na testa, queixo, buço e nariz. Quando ocorrem nas maçãs do rosto e mandibular, conforme a região que pode surgir, é conhecida como malar. O aquecimento da pele em exposição a altas temperaturas, mesmo sem o sol, também pode ocasionar o melasma.

Quais são os tipos de melasma?

O melasma pode ser classificado em três tipos:

1 – Melasma dérmico

Esse tipo de melasma acontece quando as manchas atingem a derme superficial e profunda da pele. É caracterizado pelo depósito de melanina ao redor dos vasos da pele, sendo eles profundos e/ou superficiais.

2 – Melasma epidérmico

O melasma é considerado epidérmico quando o depósito de melanina – aumento de pigmento – acontece nas camadas suprabasais e basais da derme. Normalmente, acontece entre as células da camada córnea. O que quer dizer que este é um tipo mais superficial.

3 – Melasma misto

O melasma misto ocorre quando há excesso de pigmento na epiderme e derme, ou seja, em mais de uma área. Esse tipo também pode ocorrer em outras áreas do corpo.   melasma

O que pode causar o melasma?

Não existe uma só causa definida para o surgimento do melasma, mas é possível saber que ele está associado principalmente ao excesso de exposição solar, uso de anticoncepcionais e alguns tipos de medicação, fatores hormonais, algumas doenças e predisposição genética, além do tipo mais comum que surge durante a gravidez. Grande parte das pessoas com melasma possui um histórico de exposição solar diária. Cerca de 90% dos casos acontece em mulheres e as que possuem um tom de pele mais escuro tendem a ter maior probabilidade. Além desses, outros fatores também podem desencadear o melasma, como por exemplo:

  • Mudanças hormonais causadas pelo uso constante de pílulas anticoncepcionais ou repositores hormonais;
  • Produtos cosméticos para o tratamento da pele que, em alguns casos, pode piorar as manchas e agravar o melasma.

Quais são os principais sintomas do melasma?

Os sintomas comuns são o escurecimento da área que é comumente exposta ao sol. As cores podem variar de acordo com o tom da pele da pessoa e o formato é irregular, mas simétrico de ambos os lados da face.  

Quais são os principais fatores de risco?

Vários fatores aumentam o risco da pessoa contrair melasma na pele, tais como:

  • Ser mulher, já que 90% dos casos de melasma ocorre em mulheres.
  • Ter tom de pele escuro, pois a propensão de contrair melasma é maior.
  • Algum familiar direto possuir melasma.
  • Exposição a altas temperaturas e/ou exposição solar constante.

Como prevenir o surgimento de melasma na pele?

Apesar de algumas tendências estimularem o surgimento de melasma na pele, é possível prevenir com as seguintes atitudes:

  • Usar filtro solar diariamente e realizar a reaplicação sempre que necessário. É importante manter o hábito diário, assim como escovar os dentes. Mesmo que o protetor dure bastante, é indispensável a reaplicação;
  • É importante incentivar que as crianças usem o protetor solar sempre, já que assim o hábito fica permanente ao longo da vida;
  • Evitar a exposição solar;
  • Evitar a exposição excessiva de calor;
  • Usar, quando for inevitável o contato com o sol, proteção como óculos de sol e chapéu;
  • Resfriar a pele sempre que necessário. Água termal é uma excelente opção neste caso.

Vale lembrar que se a pessoa já apresentou algum sintoma e/ou possui grande tendência a desenvolver o melasma, é importante conversar com um profissional para tomar as devidas precauções.

Melasma

Quando buscar auxílio médico para tratar o melasma?

As manchas de melasma não costumam ser cancerígenas e nem causar mal, porém, são extremamente incômodas para quem possui e, por isso, é válido buscar tratamento ao notar qualquer alteração na pele. Além do mais, só um médico especializado pode informar o que realmente são as manchas, e se são ou não um dos tipos de melasma. 

Como é feito o diagnóstico do melasma?

O diagnóstico, que só pode ser feito por um dermatologista, é normalmente identificado pelos tipos de manchas na face. O mais comum é o misto e o médico pode, em casos mais raros, solicitar exames específicos para verificar.

Quais são os tratamentos para o melasma?

O tratamento indicado deve ser feito por um médico dermatologista. Desta forma, siga a risca as orientações e nunca faça a automedicação.Na Golden Skin possuímos um tratamento extremamente eficaz para o combate ao melasma, que é o Spectra. O aparelho é um laser que elimina as manchas da pele por meio da emissão de pulsos de luz ultra rápidos que reduzem o pigmento amarronzado e escuro do melasma.

A elevação de temperatura proporcionada pelo aparelho promove o aumento da circulação sanguínea em direção ao tecido, o que diminui as manchas do melasma e aumenta a jovialidade da pele. Para que a remoção seja completa, é necessário algumas sessões com o Spectra.

O procedimento não dói e garante a pele um efeito mais bonito e totalmente livre do melasma.
Além de tratar as manchas, o Spectra também é eficiente para outras questões tais como: diminuir poros, tratar rosácea, remover tatuagens e garantir o rejuvenescimento da pele.

Agende sua avaliação gratuita e tire possíveis dúvidas subjacentes sobre o melasma.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

fechar
fechar